Aproveitamos o feriado de outubro aqui de Brisbane e fomos para o estado de South Australia conhecer uma das regiões vinícolas mais famosas da Australia, Barossa Valley, e de quebra ainda demos um pulinho em Clare Valley e Bumbunga Lake (lago cor de rosa).

Eu e o Kiko estamos aproveitando essa temporada aqui do outro lado do mundo para conhecer lugares na Australia que nem sempre estão na lista dos Brazucas, mas que merecia, pois tem muita coisa bonita, interessante e diferente por aqui!

Se você gosta de vinhos do novo mundo, a chance de já ter experimentado um bom Shiraz de Barossa Valley é imensa!!! E vai por mim, a região merece muito respeito.

Australia, Barossa Valley

Siga a gente no facebook e no instagram!!!

Sobre Barossa Valley

A região de Barossa começou a receber os primeiros imigrantes em 1842 com a chegada dos alemães luteranos fugindo de perseguições religiosas européia.

Eu achei interessante saber que vilas inteiras chegaram juntas e se estabeleceram na mesma região, facilitando assim a vida de todo mundo, pois ao chegarem além de já existir um senso de comunidade, a área também já tinha especialistas em todas as área (ferreiro, padeiro, parteiras, artesãos, professores, pastores e assim por diante!).

As principais cidades/regiões para se hospedar em Barossa são Tanunda (onde fiquei no Novotel) e Angaston. Eu achei que Tanunda tem mais opção de hospedagem e coisas para fazer a noite, mas obviamente, as cidades são minúsculas, então não vai esperando muita agitação.

Charles Melton Winery, Barossa

Kiko curtindo a paisagem na vinícola Charles Melton.

Barossa oferece mais de 80 cellar doors, vinícolas que oferecem degustação de vinhos. Eu recomendo fazer pelo menos um tour completo em alguma vinícola (nós escolhemos a tradicional e histórica Yalumba), mas são várias opções para escolher.

A qualidade de vinhos mais famosos de Barossa são o Grenache e o Shiraz (ambos tintos).

Sobre Clare Valley

Assim como Barossa recebeu imigrantes europeus, Clare Valley também teve sua quota, mas foram os italianos e padres jesuítas que lá chegaram para colonizar essa parte da Australia.

O bacana de Clare Valley é que por ser menos famosa, ela também é mais relax e tem muitas trilhas para fazer a pé ou de bicicletas.

A qualidade de vinho que Clare Valley produz com maestria são os brancos Riesling (branco) e fiquei surpresa com a qualidade (eu adoro riesling!).

Sevenhill Winery, Clare Valley

Sevenhill Winery

Como foi nosso final de semana (feriado)

Sexta-feira:

Chegamos sexta a noite em Adelaide, pegamos o carro que tínhamos alugado previamente e lá seguimos estrada para Tanunda, chegamos no hotel e rapidinho saímos para encontrar algum lugar para jantar.

O centrinho de Tanunda é muito fofo e como já era quase 9 da noite, sabíamos que nossas opções seriam bem restritas. Demos muita sorte de encontrar um restaurante de tapas aberto, o Musque, se não fosse pela música altíssima, daria nota 10!!!

Lavanda e parreiras em Barossa

Lavanda e parreiras que achamos pelo caminho em Angaston.

Sábado:

No dia seguinte, um belo sábado de sol, acordamos felizes e contentes e fomos fazer o programa favoritos de todos os locais e turistas, tomar café da manhã no Farmers Markets – ele só abre aos sábados das 7h30 ás 11h30.

Comemos um brekkie regado em um dos quiosques, demos uma espiada nos produtos da região (muita coisa de dar água na boca) e lá fomos nós para Yalumba, nossa primeira vinícola.

Farmers Markets Barossa

Farmers Markets Barossa

A gente não tinha reservado nenhum tour antecipadamente (um erro), mas demos muita sorte de termos chegado logo cedo, 10h30, e dois casais que haviam reservado o tour, nos aceitou na turma (risos).

O passeio custou $75 por pessoa para degustação de mais de 20 vinhos (perdi a conta), para conhecer parte das instalações e depois finalizar com uns queijinhos, pães e salame. Eu amei o tour, mas não dei conta de tomar todo o vinho que nos serviram, eu beberica e jogava o resto fora (um sacrilégio, mas me senti a conhecedora de vinho ahahah).

A visita a Yalumba vale mesmo sem tour, pois foi a vinícola mais bonita que visitamos!!!

Yalumba Winery, Barossa


Aventura

Yalumba Winery, Barossa

DICA: geralmente as degustações de vinho são gratuitas nas vinícolas e quando não são, o valor cobrado é descontado no caso de adquirir algum produto.

De todas as vinícolas que experimentamos, somente uma cobrou a degustação (mas ela era bem pequena, então foi muito compreensível.

Ficamos na Yalumba umas duas ou três horas, pois depois ainda caminhamos um pouco para abaixar um pouco o nível do álcool, pois o Kiko estava dirigindo. Quem não quiser dirigir, eu recomendo reservar um tour que leva para as vinícolas e você não se preocupa com o nível de alcool, na próxima vez, vou fazer isso.

De lá fomos tomar um café no Bean Addiction Artisan. Nesse local tem também uma loja de degustação de gim, para quem quiser provar algo diferente de vinhos e também tem um wine cellar da vinícola mais famosa da Australia, a Penfolds (casa do grande vinho Grange). Nós só ficamos com o café, a Penfolds vou deixar para provar em uma outra oportunidade em Adelaide na Magill Estate Cellar Door, que parece ser muito mais bacana.

A segunda vinícola do dia foi a Seppeltsfield, outro ícone de Barossa. A chegada na vinícola já é um evento, pois o corredor de palmeiras não deixa dúvida que a família já fez muito dinheiro!

Antes de chegar na vinícola, não esqueça de subir no mausoléu da família Seppelts no topo da colina (não tem como não achar)… a vista não é fenomenal, mas vale a pena!

Seppeltsfield, Barossa

A Seppeltsfield é famosa por seus vinhos fortificados (tipo vinho do Porto / Tawny), eu fiquei somente na degustação simples no cellar door, mas na próxima vez quero fazer o tour da degustação do vinho do ano do ano do meu aniversário (a Mari Campos fez na sua visita). Esses tours especiais são caros e precisam de reserva, então não consegui fazer tudo o que gostaria, mas não vai faltar oportunidades 🙂 .

Essa vinícola também é muito linda, então, se perca e se precisar comer, o restaurante Fino, no mesmo local, tem ótimas avaliações.

Seppeltsfield, Barossa Seppeltsfield, Barossa

O sol já estava querendo cair, então voltamos para o hotel para nos arrumar, pois nosso jantarzinho previamente reservado estava nos esperando.

Quem nos conhece sabe que as vezes gostamos de enfiar o pé na jaca, e foi assim que fomos experimentar menu degustação com vinho combinando no St Hugo, do chef Dan Swincer, geeeeeente …. foi perfeito! Dormimos muito felizes 🙂 

Restaurante St Hugo, Barossa

 

Domingo:

Eu e o Kiko somos fã de tomar um bom café da manhã durante as viagens, para que a gente consiga ficar forte para aguentar o dia (risos). E adoramos o ambiente e a comida do Four Season of Nosh um restaurante familiar delicinha! Gostamos tanto, que no dia seguinte batemos ponto lá de novo 😉 . 

Final de semana em Barossa

A programação inicial era conhecer mais vinícolas em Barossa Valley, mas resolvemos abolir o plano e fazer algo diferente. Conhecer um dos lagos cor de rosa da região e depois explorar a região de vinhos de Clare Valley, e foi uma decisão acertada!

O Lake Bumbunga fica uns 120km de Barossa, mais ou menos 1h30 de carro, e super vale a pena!!! O lago é realmente cor de rosa, por isso que o chamam de “pink lake”!

Há vários lagos desse tipo pela Australia, mas nenhum perto de onde a gente mora (Brisbane) e como esse estava pertinho, deu coceira e seguimos estrada!

A coloração cor de rosa tem uma explicação lógica e natural; o lago é possui uma altíssima concentração de sal e quando combinado com as algas e bacterias que vivem nele, conhecidas como halobacteria, tudo fica rosado! Quanto menos água no lago, mais intenso a coloração cor de rosa.

(PS: Sabe o mar morto em Israel, pois é, então, eles são primos, mas a diferença é que lá não tem essas bacterias malucas que adoram sal! Coisas que só a Australia faz por você!).

Bumbunga Lake, South Australia Bumbunga Lake, South Australia Bumbunga Lake, South Australia

Saindo do Pink Lake, em apenas 40 minutinhos estávamos em Clare Valley, lá conhecemos duas vinícolas muito legais e recomendo muitíssimo.

A Sevenhill Cellars encanta por seu visual, especialmente se você gostar de lugares religiosos e históricos. Eu particularmente não amei a seleção de vinhos, mas curti muito fazer a caminhada pela propriedade e ver a história dos jesuítas e dos antigos donos (pegue o mapinha e vá conhecendo!).

Sevenhill Winery, Clare Valley Sevenhill Winery, Clare Valley

Agora se você quiser vinho maravilhoso e um lugarzinho fofo para curtir um taça, eu recomendo demais a vinícola Kilikanoon. Adorei essa “descoberta”, especialmente se você gosta de vinícolas menores! A degustação deles é paga, começando por $5, mas se você adquirir qualquer vinho, ela sai de graça, e vai por mim, você vai querer comprar pelo menos uma garrafa 🙂

Kilikanoon Wines, Clare Valley Kilikanoon Wines, Clare Valley

Depois dessa vinícola, começamos a voltar para Tanunda (outros 40 minutos), pois o sol já estava querendo sair e queríamos descansar um pouco e no caminho vimos um campo de canola lindíssimo! Para fechar com chave de ouro…

A noite deu preguicite e acabamos jantando no nosso hotel e foi bom!

Campos de Canola, South Australia

Campo de canola

Segunda-feira

Antes de retornar a Adelaide, aproveitamos a manhã para ver a vista do Barossa Sculpture Park, um parque cheio de esculturas sem graça, mas que tem um visual bonito da região. Eu deveria ter ido na hora do por do sol, como nos indicaram, mas não deu tempo 🙂

Barossa Sculpture Park

Ainda de manhã paramos para conhecer a histórica vinícola Langmeil em Tanunca e outras em duas vinícolas que queria experimentar: a Charles Melton e a Rockfords, ambas ficam uma do ladinho da outra, então foi bem conveniente e os vinhos também valeram a pena!

Langmeil Winery, Barossa

Langmeil Winery, Barossa

Charles Melton Winery, Barossa

Charles Melton Winery, Barossa

Rockford Winery, Barossa

Rockford Winery, Barossa

Almoçamos no restaurante da vinícola Lou Miranda Estate, especializada em comida italiana (boa, mas nada excepcional), e de lá pegamos estrada para Adelaide.

Quase não tivemos tempo de explorar Adelaide, mas deu tempo de ver um pouco do centrinho e saber que quero voltar com mais calma!!!!

Essa região de South Australia tem muita coisa pra ver… essa foi minha segunda visita e me surpreendi, de novo!

Mural em Adelaide, Australia Centro de Adelaide, Australia

E foi assim que tivemos um feriado delicioso! Como é bom viajar…

Outras viagens pela Australia:

Rainbow Beach e as dunas Carlo Sandblow
Roadtrip: De Melbourne a Adelaide de carro…
Hamilton Island e Withsundays na Australia

Como transferir dinheiro do exterior para o Brasil