Quando se muda para um novo país, uma das certezas que você precisa estar preparado é sobre sua vulnerabilidade em relação a várias situações e acontecimentos. E saiba não há nada de errado com isso, tudo faz parte do processo de adaptação e de desprendimento.

Sentir medo, deslizar nas decisões ou repensar se tomou o caminho certo são coisas que vão passar mil vezes pela sua cabeça. São tantos cenários e as vezes as oportunidades são tão escassas no início da vida expatriada, que nem sempre o plano A é o que vai vigorar.

Então, a questão da flexibilidade também é importante para se readaptar para eventuais plano B, C, ou Z. E de novo, não encare isso como fraqueza, perda ou fragilidade, aprender a ser cameleão é uma das receitas da felicidade, não somente para quem muda de país, mas para qualquer pessoa.

Como já disse algumas vezes aqui no blog, não esqueça o motivo que o fez escolher outro lugar para viver, e não deixe que a vontade de mostrar que “deu certo” para os outros que ficaram, seja mais importante que sua felicidade, realização pessoal e qualidade de vida.

Eu mesma já me readaptei muitas vezes nesses anos morando fora e nunca deixei a peteca cair! Claro que quando resolvi mudar de carreira, me senti super vulnerável e com medo de dar um passo errado, mas só arriscando que a gente consegue chegar mais perto de ser feliz.

Mas voltando ao assunto da vulnerabilidade, você precisa também saber balancear até onde está ok ser vulnerável, para não se deixar dominar pelo medo de dar um passo a frente. Pois vejo que muita gente por medo de não falar tão bem inglês, ou de se achar incapaz, acaba não evoluindo profissionalmente! E isso pode ser frustrante na longa jornada…

Leia também:

O que você precisa saber antes de imigrar para o Canadá!
Imigrar para o Canadá não deve ser sonho
Nossa trajetória – 13 anos de Vida Expatriada

Viaje com desconto