Pois é… ainda estou ainda digerindo a idéia de que eu e o Kiko pisamos na Muralha da China. A emoção de chegar a lugares que nunca tinhamos sonhado em visitar, é algo sem explicação e agradeço sempre essas oportunidades que a vida tem nos proporcionado!
”by Mikix
Como esse passeio foi algo além da imaginação, não consegui esperar pela ordem dos posts e quero logo contar tudo para vocês!!! :mrgreen:

.:. Como escolher o lugar ideal para conhecer a Muralha da China? .:.

Não é novidade que a muralha é algo ridiculamente extenso (2,414 km – mais ou menos a distância entre Porto Alegre, RS à Porto Seguro, BA) e que você poderá ver somente um pedacinho dessa imensidão durante sua visita… e aí é que vêm a maior dúvida do visitante, “mas o que visitar e onde ir?”.

”by Mikix

Mito: a muralha da china pode ser vista da lua!!! MENTIRA!!!

Pequim deve ser seu ponto de partida e o local mais fácil e obviamente mais lotado é a região de Bandalin, eu não me interessei, mas já li relatos notificando que se você chegar bem cedo, a experiência pode ser bem bacana e de certa forma tranquila… e é exatamente isso que você deve buscar na Grande Muralha (o menor número de pessoas possível, coisa que na China é complicado!).

”by National Geographic
Mapa: Traveler, National Geographic

Na minha pesquisa, os lugares que ficaram no top lista foram: Mutianyu (depois de Bandalin, essa é a parte mais acessível e restaurada da muralha) ou Simatai.

Vale lembrar que a melhor escolha não depende somente da sua vontade, mas também do tempo, disponibilidade, forma física e gosto pessoal…

Esse website foi na minha opinião o mais completo que encontrei sobre o assunto: http://www.greatwallforum.com/

.:. Como chegar lá? .:.

Aí começa outro dilema… você pode escolher ir de excursão, carro privado or com grupo de hiking.

Excursão para Bandalin estava totalmente fora dos meus planos. Aí restou o esquema taxi e o grupo de hiking… adivinha qual eu peguei? Lógico, hiking na cabeça!

A empresa Beijing Hikers foi a que me pareceu mais professional e mais interessante… e lá fomos nós para a trilha “Jiankou to Mutianyu Great Wall Walk “ (só de lembrar me doi cada músculo da minha panturrilha!).

”by Mikix

Ah sim… o legal dessa empresa é que além de contar com outros turistas, você também tem a oportunidade de conhecer expats que moram em Pequim, eu achei isso um ponto muito positivo e não tenho dúvida em recomendar a Beijing Hikers para vocês (website: http://www.beijinghikers.com/). Pode falar para a Hayden Opie que o Christian e a Mirella Peixoto (do dia 24/Abril/2010) mandaram vocês (Não… não ganho nenhuma comissão nisso… Oh lord, I wish! 😉 )

PS: Não recomendo fazer esse tipo de trilha sem uma empresa, ou com alguém que saiba onde está te levando, como comprar ingressos e essas coisitas… meu nível aventura sempre tem um limite, entende?!

.:. Como foi o passeio .:.

Como eu não quero ser (muito) piegas, vou tentar ser curta e grossa: FOI SENSACIONAL… e valeu cada minuto, incluindo e dor nas pernas do depois!

”by Mikix

Porque falo tanto de dor? Pois é…  os “atletas” que vos falam, escolheram um tour de dificuldade 4, de um máximo de 5 níveis… Aí você imagina o drama, né?

Tem vários tours que a empresa oferece e para todos os níveis, mas a gente deu sorte da trilha que eu queria, ser bem no final de semana que estávamos por lá, e se 4 era o nivel, simbora nessa viagem!!!

Aqui esta o mapa da nossa trilha “de Jiankou à Mutianyu” … os numerous indicarão a historinha e consequentemente as fotos…
mapa

Antes de chegarmos no ponto de encontro para o passeio, já tinhamos comprado 2 garrafinhas de agua e fizemos um mix de nuts (amendoin, castanha, macadamia e M&M) para fazer uma boquinha durante a escalada (energia e calorias devem fazer parte dessa mistureba).

Reconhecimento da turma…

O passeio começou no Starbucks do Lido Holiday Inn, o ponto de encontro e partida do nosso grupo. Entramos num micro-onibus e lá fomos nós pegar estrada por cerca de 2 horas até o pé da montanha… No caminho recebemos informação sobre o passeio, sobre a trilha e sobre algumas flores que poderíamos ver pelo caminho (já que era primavera em Pequim). No início da trilha recebemos mais duas garrafas de água cada, uma banana e um tablete de chocolate (1).

”by Mikix
Nossa turminha…

A subida… (2)

Eu já estava esperando que a primeira parte da trilha para se chegar ao topo (1.100m) seria seria bastante puxada. Toda metida, fui logo seguindo a turma naquele pique de atleta, o Kikão estava a toda também… mas aí comecei a ficar cansada, pois o ritmo não diminuia e eu queria um pouquinho mais de calma, né?! Afinal… não é todo dia que eu estou na China e muito menos subindo a Grande Muralha…

Foi então que resolvi amarrar o tenis, deixar o pessoal mais experiente passar na frente para assim eu poder ir numa boa e no meu ritmo firme e forte para o topo! O Kiko achando que eu só tinha dado uma paradinha básica para tirar foto até da mosca que passava na trilha, estava indo com o pessoal… mas notando minha ausência (risos), resolveu me esperar. Quando me viu, percebeu que eu estava precisando de uma forcinha… afff… tava complicado, viu?! Sabe quando a perna começa a tremer, pois é… eu estava nesse estágio quando ainda faltava ¼ para a chegada!

”by Mikix
Mirellita sobrevivendo… mas ainda sorrindo! 😀

Muito cavalheiro, ele pegou minha mochila e foi me seguindo (acho que ele estava com medo de ficar viúvo eheheh)… e eu repetindo comigo mesma: “você consegue, você consegue… ai que lindo! … você consegue, você consegue … um minutinho, preciso tirar uma fotinho! … você consegue, você consegue … Kiko, você acredita que estamos na Muralha? … você consegue, você consegue… “ e assim foi até chegar no topo e a vista quase me matar de emoção!!!

”by Mikix
(Confesso que a foto não faz juz ao que eu vi ao vivo e a cores!)

No topo…

(3) Depois dessa puxadinha, pudemos descansar e curtir o momento. Aproveitamos para comer, tirar fotos e ver como os próprios chineses aprovhttp://mikix.com/wp-includes/images/smilies/icon_mrgreen.gifeitam esse destino (devo confessar que na maioria das vezes são eles que deixam o lixo por lá!)…

”by Mikix

E agora é que vêm a pergunta… existia a opção de continuar até Mutianyu pela muralha (que estava previamente avisado que seria escorregadia) ou pegar um atalho e cortar o caminho… não tive dúvida! Trilha na cabeça… fico sem perna, mas não deixo de curtir cada minuto na muralha… esse era o lema!

E lá fomos nós… vou deixar só as fotos e legenda para vocês sentirem o drama! :mrgreen:

”by Mikix
Parte tranquilinha…
”by Mikix
Prova que o Kiko estava realmente carregando as duas mochilas (de novo!)…
”by Mikix
Descendo na parte escorregadia e uito ingrime… mas dava para ir também de passinho em passinho… (4)

E foi então que chegamos na parte restaurada… com um solzinho brilhando pra gente!

”by Mikix

A parte restaurada… Mutianyu… (5)

– Achei muito interessante a opção de ver os dois lados da muralha,
– Obviamente, na parte restauranda tem mais gente (incluindo crianças),
– Vendedores de bebidas e souvenirs começaram a aparecer,
– É bacana também notar a diferença do design do muro (além da influência chinesa, há também a mongol e a muçulmana).
– Vale lembrar que mesmo na parte restaurada, a subida e descida sao bastante ingrime. E extra folego tambem eh necessario para essa parte caso voce decida fazer todo o percurso.

”by Mikix

E foi assim… começando de modo naturebas e terminando no esquema turistão (descendo de carrinho de tobogã…) que aproveitamos demais esse passeio! Um almocinho bem chinês e gostosinho para recarregar a energia também fazia parte do roteiro! YES… I did it!

Não esqueça de levar:
– Tenis de trekking
– Agua
– Chocolate
– Banana
– Derivados de amendoin
– Agasalho

Leia também:
– Revista Traveller: http://www.nationalgeographic.com/adventure/0510/features/hiking_great_wall.html
– Passeio da parte restauranda do Mutianyu que a Denise, do Sindrome de Estolcolmo, publicou (clique aqui).