Com a abertura do novo processo federal de imigração para o Canadá – Express Entry, muita gente está me escrevendo e perguntando sobre a aplicação, a pontuação, o test do IELTS e detalhes do que fazer para não perder tempo com o processo … Mas as vezes, o mais importante, e o que muita gente deixa pra depois, é a preparação para que esse projeto “imigrar para o Canadá” seja bem sucedido.

Como vocês sabem, eu e o Kiko chegamos em Toronto bem novos, ele com 27 anos e eu com 23 anos. E nessa época, pouco sabíamos sobre o Canadá, a internet era produto de luxo em 2000 e pouca informação existia na rede sobre o assunto. Tudo o que sabíamos veio de um amigo que havia imigrado, viajado para Toronto para dar entrada no visto, mas que ainda vivia no Brasil… o mundo era outro, pois logo depois de 2 anos, já existiam os blogs, grupos de discussão no yahoo e por aí vai.

Na época, não tínhamos nada a perder com essa experiência, a não ser os R$35.000 que havíamos separado para essa “aventura” e outros R$20.000 para nosso retorno ao Brasil caso não nos adaptássemos. Hoje somos bem mais comedidos em nossas andanças pelo mundo, mas não menos aventureiros 🙂

CN Tower em Toronto

Primeiro mês de Canadá (Agosto/2000), nós no chão de vidro da CN Tower.
Na época que foto selfie era por pura sorte (Repara que o Kiko só saiu pela metade) 🙂

E aí que vem o grande barato … PLANEJAMENTO! Você que está pensando em imigrar, já fez o seu?

Hoje, depois de quase 14 anos fora do Brasil e com bastante experiência em mudar de país, enumerei alguns fatores que acredito ser essencial para sua preparação para imigrar para o Canadá, especialmente se não nasceu com a conta bancária recheada e a imigração não é uma brincadeira PAItrocinada.

O que você precisa saber antes de imigrar para o Canadá!

1- Aprenda Inglês (ele vai muito além da pontuação do IELTS): parte da pontuação para ser aceito para o processo de imigração é o nível de inglês que você fala, lê, escreve e ouve. Claro que atingir a maior pontuação possível é importante, mas lembre-se que os pontos são somente o começo do desafio, pois quando chegar no Canadá e seu inglês for macarrônico, dificilmente vai encontrar emprego na sua área de trabalho e terá que se submeter aos “sub-empregos”. Isso não significa que estou menosprezando os subempregos (muita gente começa por eles), mas é só isso que você quer como imigrante? Eu aposto que não… então, senta o bumbum na cadeira, e estude inglês e se possível francês também.

E vai por mim, a não ser que você realmente fale inglês todos os dias com nativos, seu inglês não será tão avançado quanto imagina ao chegar no Canadá! O choque é gritante… pois no dia-a-dia, a conversa é mais que o “the book is on the table!” 😉 [Propaganda: quer estudar inglês no Canadá? Fala comigo, sou agente de intercâmbio 🙂 ]

Linc no Canada

Minha turma de inglês quando cheguei no Canadá, numa atividade extra-curricular.

2- O que você sabe sobre o Canadá? Essa pergunta não se limita a posição geográfica, ao clima ou as atrações turísticas. O que quero dizer é que você deve estar ligado no que acontece no dia-a-dia da cidade que quer morar e no próprio gingado do Canadá. Leia jornais e assista noticiários de TV, saiba quem é o âncora do telejornal da CBC (não sabe o que é CBC, vai procurar já!!!). Quer rir sobre a política? Conheça o humor do Rick Mercer, por exemplo.

Claro que várias nuances e detalhes, você só vai aprender estando lá. Quem vai a Vancouver, não vai aprender as mesmas coisas das pessoas que viverão em Toronto, por exemplo. Mas tente sugar todas as informações que esteja a seu dispor para chegar e não levar um choque a cada minuto …

Leia e interaja nos blogs, participe de grupos nas redes sociais, vai se inteirando do assunto… faça parte do Canadá, antes de chegar lá!

Aprendendo a patinar

Kikão aprendendo a patinar em Montreal …

3- Junte dinheiro … eu acho engraçado quando as pessoas ficam chocadas que o governo canadense exija que se tenha o mínimo de C$14,720 (casal)(isso em 2014) para chegar no Canadá! Se você acha essa quantia muito? Então nem vá, pois os gastos que um casal ou uma família tem ao desembarcar no congelador é grande… e sinceramente, não acho que 14K seja o suficiente para dar tranquilidade ao colocar a cabeça no travesseiro.

Sim, pode ser que você dê sorte e comece a trabalhar logo no segundo mês de vida expatriada, mas a maioria das pessoas não tem essa “sorte”. Eu sempre aconselho imaginar que ficará 6 meses sem nenhum emprego. Tendo isso em vista, o que vier antes é lucro. Então, se programe ($$$) para esse tempo, junte dinheiro desde o dia 1 do seu planejamento de imigração. Pense que terá que pagar aluguel, transporte, alimentação, curso e tantas outras coisas quando chegar lá. Cada dolar extra faz a diferença, e vai por mim, ver o dinheiro indo embora nos primeiros meses não é fácil… dá uma sensação de impotência gigante!

4- Onde vai morar? Tem gente que sabe exatamente onde quer morar e pronto. Com sonho a gente não brinca, então, se sonha em morar em Vancouver, corre atrás, o mesmo vale para qualquer outra cidade. As perguntas que você deve se fazer e pesquisar antes de chegar:

– Já sabe o bairro que quer morar?
– Quanto custa o aluguel de uma casa ou apartamento nesse bairro?
– Ele é pro seu bico? Porque morar em Yorkville em Toronto todo mundo quer, mas nem todo mundo pode ($)… seja realista.
– Quais os meios de transporte que precisará para ir ao trabalho/downtown.
– Já pesquisou se esse bairro é étnico? Várias cidades tem bairros onde a maioria são de determinada etnia… eu, por exemplo, adoro a multiculturalidade de Toronto, mas não gostaria de morar em um bairro que só tem indiano ou brasileiros. A maioria dos lugares são bastante heterogêneo, mas outros não… entonces… identifique sua praia e pesquise.

PS: Para aqueles que não falam nadica de inglês e precisam de emprego pra ontem, os bairros de portugueses e brasileiros pode ser uma boa no início de Canadá para os sub-empregos.

Porém, se você ainda não sabe a cidade que vai morar, minha dica é pesquisar os lugares que tem mais ofertas de emprego para sua área de trabalho. Atualmente, a província de Alberta é uma das que mais tem emprego a oferecer em várias áreas… de repente, você pode começar pesquisando por Calgary ou Edmonton.

Oakville em 2000

Depois de viver no muquifinho por 1 mês, nos mudamos para uma townhouse em Oakville, cidade da grande Toronto.

5- Quando vai chegar no Canadá?: eu e o Kiko desembarcamos no aeroporto de Toronto em Agosto e acho que foi uma decisão acertada. Entre Maio e Agosto, na minha opinião, são os melhores meses para chegar no Canadá. Pois sinceramente, chegar no meio do inverno não é fácil. É preciso lembrar que além da adaptação ao novo país, você terá que se adaptar ao frio… e sim, o Canadá é frio pra caramba, nenhum imigrante morre congelado (fica tranquilo), mas não precisa sofrer antes do tempo, entende? Sem contar que uma chegada no inverno pode se tornar uma experiência frustante, ao invés de empolgante (que é o que deve ser).

Os primeiros meses são legais para explorar a cidade, ir atrás da documentação, descobrir supermercado perto da casa, ir a entrevistas, entender o sistema de transporte público, se perder, tirar carteira de motorista etc etc etc … e pra que fazer tudo isso no inverno se tem a primavera, o verão e o outono pra isso! Entende meu ponto? E inverno, meu amigo(a), fica tranquilo que ele chega e você vai ter tempo de curti-lo como se deve… 🙂

PS: Eu sei que abril, setembro e outubro não são problemáticos, mas são próximos dos meses de inverno. Então, se puder evite.

Sofrer, não prova que você é mais imigrante que o outro! O grande barato é aproveitar cada etapa de forma prazerosa apesar dos desafios! #PensaNisso

6- Tem certeza que você quer imigrar?: Eu sei que pensar em mudar em país dá frio na barriga, ler sobre a experiência de amigos no exterior nos deixa com vontade de ir (ah sim, eu sempre tenho vontade de morar em outros países!) e pensar em ter uma vida diferente anima… mas a pergunta é:

– você está realmente a fim de largar tudo o que construiu para se arriscar no Canadá?
– Você vai ficar bem em não participar dos eventos familiares que tanto gosta?
– Vai topar procurar por novos amigos, que nem sempre terão a ver com você no início?
– Por mais que tenha se formado nas melhores Universidade do Brasil ou trabalhado em boas empresas, está preparado para ser rejeitado várias vezes por não ter a experiência canadense na procura do novo emprego?

Não quero desanimar ninguém, mas a idéia desse post é que o quão mais preparado para a imigração, melhor o resultado e menor as frustrações! Surpresa só agrada quando é boa!

7- Se mantenha fiel a SEUS planos: essa é uma dica que dou aos amigos recêm-chegados no Canadá, não mude seus planos para provar aos que ficaram no Brasil que você deu certo.

É muito comum as pessoas simplesmente perderem o foco no momento da imigração. Antes de chegar os sonhos são aranjar um bom emprego, ter uma boa qualidade de vida, morar em um lugar bom etc etc etc … mas de repente, parece que ao chegar no Canadá, o grande dilema é mostrar pra quem ficou no Brasil, que você tomou a decisão certa mudando de país. Como se seus planos não fosse mais seus e sim o que os outros esperam de você. Não caia nessa! Se mantenha fiel a você e as suas experiências… e lembre-se que no momento que você pisou no Canadá, já deu certo independente do resultado financeiro, pois a experiência que você vai viver, o aprimoramento da lingua que você vai ter e todos os desafios que você vai passar, são parte da SUA VIDA!!! E no final… essa jornada é o que conta!