Pra ser bem sincera, ando desacreditando na humanidade… e como anda tão difícil dialogar e encontrar pontos em comum, a única pergunta que me faço diante de tantas ações e reações sem pé e sem cabeça é : “Estamos mesmo em 2016?“.

Exemplo 1: O caso da menina e dos 30 estupradores, me tirou o sono e o estômago, durante vários dias… eu não sabia se ficava com mais nojo do ato em si, ou dos comentários que li pela rede. Como pode ter gente, inclusive mulheres, acusando a vítima? Gente, sério… temos que ter um limite do que é aceitável, e o que aconteceu foi inaceitável, tanto faz se a menina “procurou”, se estava de mini-saia, se era drogada, se era puta ou o que quer que seja… nada, absolutamente NADA justifica o que foi feito. E temos que nos indignar e não tolerar isso!

Achei esse vídeo da Jout-Jout excelente, e ilustra bem o que eu penso sobre o assunto e como devemos agir diante de um caso de estupro:

E quanto mais eu penso sobre o ocorrido, mais eu tenho certeza que isso acontece com uma frequência maior que conseguimos digerir, mas amanhã, a mídia vai se cansar desse assunto e nós também… mas meninas, mulheres, meninos e homens vão continuar sendo abusados e a grande maioria nunca será ouvido! Triste…

Se caso você ainda não entendeu o que é um estupro, essa analogia entre consentimento versus tomar chá é brilhante (vídeo em inglês)  – Fabio Malerba, obrigada por compartilhar:

Exemplo 2: Na semana passada, compartilhei uma imagem no facebook sobre “10 Expressões Racistas” que deveríamos parar de usar, e no título coloquei apenas a frase: “Temos que nos policiar TODOS OS DIAS…” … só isso, não tinha a intenção de causar polêmica e nem gerar discussão, porque pra mim é tudo bem simples; se eu ofender alguém com uma expressão que uso, mesmo que sem intenção de magoar ou ferir, eu devo me policiar pra parar de usar, simples assim – e acho que os outros devem fazer o mesmo.

Mas fiquei surpresa como as pessoas se comportaram diante de tal fato e querendo justificar que algumas das expressões não deveriam estar na lista, pois não tinham a ver com o racismo, vinha de outras origens, como por exemplo a expressão “Dia de branco”, que é associada a marinha e não dia de trabalho (pois quem trabalha é branco! argh!). Sim, eu acho que o mundo deve ser leve, não sou a favor de radicalismo, sempre busco pelo balanço… mas interessante que quando o assunto gira em torno dos negros, algumas pessoas criam uma proteção estranha!

E quer saber, tanto faz se a expressão “Dia de branco” venha de onde quer que seja, se ofende alguém, custa parar de usar?

Enfim gente … eu só acho estranho a gente ter que falar e discutir sobre esses assuntos nos dias de hoje, pois na minha opinião, tudo isso já deveria estar certo em nossas mentes. Tenho certeza que já avançamos bastante na questão de liberdade de expressão, direito das mulheres, igualdade entre as raças etc…  mas né, diante dos absurdos que ainda ouvimos, eu me pergunto : estamos mesmo em 2016?