Cada pessoa sofre e curte de um jeito as alegrias e mazelas da vida expatriada ou da vida de imigrante. Aqui nesse post, eu Mirellita, conselheira psicológica de assuntos estrangeiros, enumero 4 dos principais problemas enfrentado pelos imigrantes que vi, vivi e continuo vendo mundo afora.

Principais problemas enfrentado pelos imigrantes

*** Solidão…

Mudar de país ou viver um tempo fora do seu ambiente é uma delícia, especialmente para as pessoas que (como eu) não gostam de rotina. Os primeiros dias é um tumulto de novas informações e várias tentativas (muitas vezes frustadas) de adaptação. Sua vida realmente vira do avesso e se a mudança inclui uma lingua diferente, a coisa complica ainda mais 🙂 .

No começo tudo isso é gostoso, mas passando algum tempo, quando você cria uma nova rotina… a falta de amigos, familiares, gostos e coisas que fazem parte de sua história começam a fazer falta e muitas pessoas não conseguem lidar com essa fase de transição.

Chamo isso de fase de transição, pois a tendência é que ela se acabe e uma nova vida se abra com novos amigos, novos ambientes, novos gostos e culinarias, novos sons etc – e aquilo que um dia era estranho, passa a ter cara de “casa”…

Mas para que essa “nova fase” aconteça é preciso que a pessoa se movimente e não fique em casa chorando as pitangas e esperando que o mundo bata a sua porta a convidando para entrar. Sim, encontrar novos amigos não é tarefa fácil, exige disponibilidade, mas não é nada impossível. [Já falei sobre isso nesse post – Amizade Pós Imigração]

*** Diferenças Culturais…

A questão das diferenças culturais acontecem em maior ou menor grau dependendo do país ou local que você mude… pois vamos combinar que certos comportamentos, leis, estilo de vida e afins, podem ir de encontro com tudo aquilo que crescemos tendo como certo ou errado.

Mas por outro lado, o mundo nunca foi tão global e nunca tivemos contato com tantas culturas diferentes seja através de documentários de TV, viagens, internet ou livros… o mundo está mais interconectado e todo imigrante deve aproveitar essas informações para se preparar antes de chegar no novo país.

Muitas pessoas parecem esquecer que viver no exterior é uma aventura e um dos principais elementos desta aventura é abraçar e experimentar diferentes culturas. Você pode até não concordar com todos os aspectos de uma nova cultura, mas a verdade é que “quando em Roma, faça como os romanos”. Mostrando respeito pelas práticas e cultura local pode ajudá-lo a se integrar com a população.

Viagem com desconto

*** Custo de Vida…

Apesar de eu sempre refletir sobre a questão da imigração de forma independente, a verdade é que a maioria das pessoas que mudam de país vão devido ao trabalho, seja transferência interna entre empresas ou novo emprego no exterior. Apesar desse novo emprego, na maioria das vezes, resultar em uma melhor posição na carreira e com uma remuneração mais alta… é sensato fazer a lição de casa antes mesmo contemplar uma mudança para exterior, mesmo que seu pacote de emprego é o “melhor que você já viu”.

Mas essa dica vale também para quem “sonha em imigrar“, pois querer mudar para o exterior é uma coisa e estar atento ao custo envolvido antes e durante os primeiros meses da imigração é algo completamente diferente.

Já parou para pensar e investigar qual o real custo de vida na região que vai morar? Esse novo salário ou dinheiro guardado será suficiente para manter o padrão de vida atual? Está disposto a ter que mudar seu estilo de vida?

Muitas vezes, mudar para países como os Estados Unidos, Canadá, Australia e vários países Europeus significa ter que deixar de lado vários mimos que a classe média alta está acostumada como; emprega diarista, manicure, massagem e outras frescurinhas que no Brasil ainda é acessível…

Estar prevenido é estar preparado!

*** Todos de sua família querem (realmente) viver essa aventura…

Ok, você quer mudar para o exterior? Legal! Mas a pergunta que eu te faço é, você vai sozinho ou com a família (esposa, marido e ou filhos)? Se for sozinho, todos os problemas e sucessos que irá enfrentar diz respeito somente a você, mas se vai envolver mais gente nessa aventura é melhor que todos estejam de acordo e saibam onde estão se metendo.

Porque uma coisa é certa, o começo da vida expatriada é difícil pra todo mundo, e se a adaptação já é complicada (mas bem-vinda) para quem quer… imagina tendo ao lado alguém te puxando pra trás ou se lamentando o tempo todo da decisão que tomou… tudo vira um caos! Todo aquele sonho e planejamento vai por água abaixo. Dessa forma, minha dica é sempre trabalhar em conjunto e ter certeza que todos seguirão para a mesma direção – ser realista nos planos é essencial para que ninguém se arrependa da decisão que tomou.

Isso vale para você meu amigo ou amiga que foi transferido de emprego e levou no colo sua esposa/marido… você vai entrar numa rotina de trabalho rapidinho, vai encontrar pessoas e fazer parte de um grupo, mas lembre-se que quem ficou em casa sofrerá aquela tal solidão que falamos acima de forma mais intensa. Sendo assim, faça planos para que a pessoa que for ficar em casa também tenha uma vida feliz e realizadora…

Na realidade, muitos relacionamentos se quebram depois de um período relativamente curto vida expatriada. O número de pessoas que voltam para casa sem o seu parceiro tem crescido nos últimos anos e é algo que pode ser muito difícil de lidar para ambos os lados.

A imigração deve ser uma oportunidade de fortalecimento do casal, mas só será, se os objetivos forem os mesmos e o prazer da mudança seja mutua!

Talvez esse ponto deveria ter sido o primeiro da lista, já que é o mais importante na minha opinião.

Siga a gente no facebook e no instagram!!!

*** Conclusão…

A realidade nua e crua é que imigração não é pra todo mundo!

Mas para aqueles que realmente querem buscar essa aventura, eu digo uma coisa… É MUITO BOM!!!

PS: Imagem do post por FrankWinkler.

Leia mais sobre nossa vida no Canadá ou nossa vida na Australia