Estava passeando pelo Instagram, quando vi o relato da Bárbara sobre seu primeiro ano na Austrália. Achei o conteúdo tão pessoal e tão sincero, que pedi para reproduzir aqui no blog, e ela deixou!!! Uhuuu….

Conheci a Bárbara no chá de bebê de uma amiga, sabe aquela pessoa de coração bom e que merece nossa admiração. Pois é, muito bom quando gente cruza com pessoas.

Ela, o marido e o filhinho chegaram na Austrália no ano passado e sua reflexão é interessante, especialmente para quem está pensando em fazer o mesmo percurso e nas mesmas condições que eles; mudança de país com visto de trabalho, veterinário e com filho.

Aproveita para seguir a Barbara no instagram: @krugercbarbara e a gente também @mikix10.

Mas chega de falação e vamos ao texto!


Primeiro ano na Austrália com a Bárbara

Exatamente a um ano atrás colocávamos parte de nossas bagagens físicas num container e vínhamos para Austrália. Muitas pessoas me perguntam. Mas porquê Austrália?

Nós queríamos sair do Brasil e diante das oportunidades que apareceram, essa foi a melhor pra nós. Pros 3 mesmo que digo.

Rafael foi contratado por uma empresa Australiana, que patrocinou nosso visto (de trabalho). Sendo assim, ele teria um bom emprego, veterinários aqui são reconhecidos, e o Gabriel teria a oportunidade de crescer num país seguro, onde os valores são outros.

(E o bônus dessa última parte sem dúvida é nosso triunfo).

Não conhecíamos a Austrália. Viemos no escuro.

Foi fácil? Não. Como nada é.

Valeu a pena? Tem valido.

Aqui é o paraíso? Não!

Apesar de todos os benefícios e lindezas dessa terra, ela também tem seus defeitos.

Sofri preconceito? Sim.

Chorei querendo voltar? Ainda choro. Mas passa.

Adaptados? Total.

É pra sempre? Não sei.

Hoje, um ano depois vejo os saldos dessa loucura (sim, muita gente nos chama de loucos). Tínhamos uma vida legal no Brasil e muitos não entendem até hoje essa ousadia.

Mas muitos também não entendem que nem sempre se busca uma “vida nova” somente por dinheiro. Sem hipocrisia, pois é muito bom receber em dólar, mas é muito bom você vestir o que quiser e ninguém te olhar diferente por isso. Ou não interessar o que você tem ou onde você mora.

Aqui o mais lindo pra mim é essa igualdade social.

No mesmo prédio mora o médico, a cleaner, o advogado, o juiz, o feirante, a babá, o grande empresário etc. E todos são igualmente importantes!!!! ♥️

E o melhor do meu ano, voltei para onde jamais devia ter saído: a pesquisa. Quando recebi a aprovação do processo seletivo (Doutorado), eu nem sabia o que fazer. Eu queria gritar, ligar pro meu marido, pros meus pais, pras amigas. E o que eu fiz? Sentei na grama e chorei, de agradecimento a Deus.

E o segredo? Fé e foco.

Menos rede social (no meu caso) e mais Deus no ♥️ e no meu dia-dia. Mais minha família.

Nem peço nada a Deus a muito tempo, só agradeço. Esse é o meu propósito de vida!

Mas e a bagagem emocional como anda?

Status: em construção 🤗


Conclusão

O primeiro ano de vida expatriada é tão intenso e tão cheio de aprendizado, que as vezes fica difícil a gente colocar em palavras tudo o que sentiu, até porque as ideias ainda estão se processando.

Queria agradecer mais uma vez a Barbara por ter me permitido publicar aqui seu relato sobre seu primeiro ano na Austrália . E só posso desejar muito sucesso, felicidade e muitas descobertas na vida dessa família linda!

E só para dar contrastar um pouco com esse relato, que tal descobrir 7 Motivos para não imigrar para Austrália! 🙂